A empresa Opinion Box realizou uma pesquisa, de 25 a 27 de março, com 2.151 pessoas, a maioria entre 16 e 49 anos, de classe CDE. O objetivo foi entender as mudanças de hábito e consumo dos brasileiros em consequência da pandemia do coronavírus, e alguns desses dados indicam boas oportunidades para as empresas.

Dados da pesquisa da empresa Opinion Box, realizada em março de 2020.

➥ Cursos e materiais online

Se você possui uma plataforma de cursos online, ou é um produtor de conteúdo para a sua empresa, foque nisso. 32% dos entrevistados deixaram de ter aulas presenciais, e 15% começou a estudar online. Além disso, o número de usuários dessa categoria aumentou quase 1/5, e a intensidade de uso, 36%. Isso significa que as pessoas estão aproveitando o momento para ler conteúdo online. Inclusive, 79% dos pais estão preocupados com o ensino dos seus filhos – o que pode ser uma boa oportunidade para os criadores de materiais focados no público infantil.

Mas digamos que o seu caso seja diferente – você tem uma empresa, com profissionais capacitados, e sempre pensou em iniciar uma produção de conteúdo. Esse é o momento! Se você não sabe nem por onde começar, leia aqui. Se o seu segmento é de livros ou outros materiais de ensino, também pode ser uma oportunidade de alavancar as vendas. Faça promoções, boas opções de frete e, caso não seja uma marca conhecida, ingresse em marketplaces

Ainda não está convencido da importância disso? Outro dado interessante é que quase metade das pessoas se sentem mais entediadas durante a pandemia, e 3/5 está passando mais tempo na Internet. Além disso, 58% está lendo mais notícias, e mais da metade está investindo mais horas nas redes sociais. E você aí pensando que não precisa criar Instagram para sua empresa, hein?

Aproveite esse período para caprichar as redes do seu negócio, e lembre que, quando isso passar, o mercado não será mais o mesmo de antes. A partir de agora, será obrigatória a presença no mundo digital! Leia mais sobre como utilizar as redes sociais da sua empresa aqui.

➥ Entrega de alimentos

Muitas pessoas estão saindo de casa apenas para fazer compras no supermercado. No entanto, a pesquisa mostra que 14% dos entrevistados estão comprando os insumos para casa de forma remota. O número de usuários de supermercados online aumentou 1/4, e a intensidade de compra, 34%.

Também foi percebida uma procura por uma alimentação mais natural e saudável  – muito porque a correria do dia a dia, normalmente, acaba dificultando isso. Dessa forma, 24% dos entrevistados aumentaram o consumo de frutas, verduras e legumes, e 21% acredita estar se alimentando melhor na quarentena. O hábito de pedir comidas prontas, na versão delivery, também cresceu 26%.

Pelo fato dos restaurantes e bares estarem fechados temporariamente em seus pontos físicos, muitos estão optando por ingressar em plataformas de delivery, como Ifood e Rappi. Alguns estão vendendo porções das comidas separadas, ao invés do prato montado. Isso facilita para quem está cozinhando em casa. Por exemplo, você cozinha arroz e bife, mas não tem feijão. Aí você compra a porção de feijão separada pelo aplicativo, que você não compraria caso ela acompanhasse mais uma série de alimentos.

➥ Medicamentos com serviço de entrega

A sua farmácia pode não ter um aplicativo online, com toda a estrutura de uma grande marca. Mas ela pode sim ter um serviço de entrega – um motoboy pode ser a solução dos seus problemas. Apesar da categoria de farmácia estar com uma forte procura, cada vez mais as pessoas estão optando pela compra online, ao invés de se deslocar até o local. Isso significa que você precisa acompanhar a demanda.

15% das pessoas estão comprando em farmácias online, o número de usuários aumentou 17% e 28% em intensidade de uso. Disponibilize o serviço, ofereça para a sua rede de clientes e permaneça atento às medidas de prevenção na entrega. Tome cuidado com aqueles medicamentos que, por lei, não podem ser vendidos de maneira remota.

➥ Produtos de limpeza e higiene

Considerando que 45% das pessoas estão realizando faxinas em sua própria casa, já era de se esperar o aumento na compra de produtos de limpeza – inclusive pela Internet. O hábito de higiene pessoal também subiu 43% e quase 2/5 das pessoas estão higienizando os alimentos antes de guardar no armário. Aproveite para vender os seus produtos, mas evite gastos exagerados – essa demanda tende a diminuir quando acabar a quarentena.

➥ Produtos/serviços de beleza

A queda nesse segmento foi grande. 41% dos entrevistados deixou de ir a salões de beleza, e 16% está realizando os serviços por conta própria. É natural, considerando que são serviços não essenciais, não necessários, portanto, para a sobrevivência. No entanto, essa demanda deve ter um pico quando a pandemia acabar – prepare seu estabelecimento para isso.

O maior desafio agora é resistir a esse período de baixa. Incentive e dê benefícios para os clientes que anteciparem o pagamento dos serviços – exemplo: se pagar o mês de manicure, tem desconto de 30%. Quem tiver esse dinheiro disponível, irá investir por saber que depois irá utilizar com certeza.

➥ Atividades físicas

Os atletas – amadores ou não – estão sofrendo, é verdade. Mas, mais ainda, aqueles profissionais de educação física e donos de academias. Isso porque 36% deixou de ir a academias pela própria escolha. Portanto, mesmo que agora seja uma determinação, na maioria dos lugares, também foi uma escolha individual. Esses ambientes, de fato, são potenciais meios de propagação do vírus

Com esse cenário, 15% das pessoas decidiu realizar os exercícios por conta própria, e também 15% com auxílio profissional, através de videochamadas ou lives. Essa reestruturação no setor é importante e pode ter efeitos a longo prazo, porque se os usuários identificarem que conseguem praticar as atividades em casa, com ou sem ajuda profissional, irão repensar o gasto com as academias.

Isso pode obrigar esses estabelecimentos a investirem mais em estrutura, aumentando as possibilidades e proporcionando treinos mais completos para os alunos. Portanto, os profissionais não podem ficar de coadjuvantes dessa mudança. É preciso fazer constantes adaptações para se manter ativo no mercado.

Por fim, lembre de aproveitar ao máximo as chances que tiver nesse momento. Juntos, sobreviveremos a essa crise. Se você precisa de ajuda, não se desespere, estamos aqui para isso. Entre em contato com a Wave, esclareça suas dúvidas, solicite um orçamento e trabalhe junto conosco para superar esse momento difícil.

Leia mais sobre nossos serviços.

@wavecommerceoficial

Author

Escreva Um Comentário